Fadelito

sublayer sublayer sublayer sublayer
sublayer sublayer sublayer sublayer

Revista de Educação Infantil Minuano

A equipe da revista veio até o colégio fazer uma produção de fotos para a publicação impressa.

Como a revista é impressa ainda não tivemos acesso.

CONVERSA COM O GESTOR: EDUCAÇÃO INFANTIL – ESCOLA FADELITO

PELO DESENVOLVIMENTO INTEGRAL E INSERÇÃO SOCIAL DA CRIANÇA

Por Rosali Figueiredo / Fotos Rosali Figueiredo



“Um dos grandes desafios das escolas de Educação Infantil da atualidade é trabalhar com uma criança que precisa aprender a viver em sociedade sendo ela única em casa.” (Juliana Cristina Fadel, diretora pedagógica e uma das fundadoras e mantenedoras da Escola Fadelito).

Instituição especializada em Berçário e Educação Infantil (até seis anos incompletos), o Fadelito surgiu no final de 1999 com apenas seis alunos, a partir de um projeto ousado de dois jovens: do então professor de Judô Fábio Fadel e de sua irmã e advogada Juliana Cristina Fadel. De lá para cá, os mantenedores viram o sonho inicial se transformar em uma estrutura com sete unidades distribuídas entre as zonas Sul e Oeste de São Paulo e dois municípios da Grande São Paulo, totalizando mil alunos.

Seu projeto está baseado em valores humanistas, especialmente no respeito ao outro; na aprendizagem lúdica e assentada no brincar; e em relações de pessoalidade, com no máximo 200 alunos por unidade. Mas o Fadelito cresceu ainda como estrutura empresarial, bem organizada, investindo na formação de seus colaboradores. Confira, a seguir, os principais trechos da entrevista com Juliana Fadel, hoje também graduada em Pedagogia e especializada em Gestão da Educação Infantil.



FILOSOFIA DE TRABALHO

O importante para nós e que tem que caminhar junto com o trabalho é a formação por completo dos indivíduos. É algo para a qual todas as escolas deveriam se atentar: os valores morais, éticos, além de sociabilizar e ensinar as crianças a se relacionarem com o outro, respeitar o trabalho do outro. Temos uma proposta pedagógica e uma filosofia bem definida que é a humanista, e ela funciona não só entre as crianças, mas entre nossos colaboradores. 



O QUE ESPERAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL?

É o trabalho com algo que está se perdendo hoje, o respeito. Trabalhamos demais aqui com as crianças com exemplos simples, elas aprendem muito com exemplos: que é respeitar o seu colega, os mais novos, os mais velhos, os funcionários, o ambiente, o meu limite, o espaço do outro. Hoje as famílias têm perfil diferente do que se tinha antigamente, quando havia muitos irmãos. Esse é um dos principais pontos que faz com que os pais procurem mais cedo a escola. Para a criança se relacionar com outras ela precisa de um ambiente específico, porque praticamente as famílias têm um filho só. Então, ensinar para essa criança que nem sempre ela é a primeira no escorregador é um desafio, porque em casa ela é a primeira para tudo. É importante que ela aprenda que nem sempre ela vai ser a diferença no ambiente e ter as coisas de imediato da maneira como tem em casa. Um dos grandes desafios das escolas de Educação Infantil da atualidade é trabalhar com uma criança que precisa aprender a viver em sociedade sendo ela única em casa.  



O PAPEL DO GESTOR NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Optamos por atender Berçário e Educação Infantil porque há um buraco muito grande no mercado, é uma faixa etária que dá trabalho. Hoje oferecemos uma estrutura que comporta coordenador de segurança, de Berçário, coordenadora pedagógica geral, de RH (que trabalha muito mais para formar que para recrutar), e o financeiro, que cuida, por exemplo, de inadimplência dentro das unidades. Se eu passar a cuidar disso, deixo de atender pais e as coordenadoras das unidades, não quero perder esse contato. Serviços mais burocráticos e fiscalização precisam existir, é necessário ter uma rotina bem organizada de atividade, que falta muito em Educação Infantil. Geralmente nós, profissionais da educação, somos muito idealistas, mas ninguém vive sem pagar as contas. Você tem que trabalhar dentro do ideal, mas com equilíbrio financeiro, com planilhas de desenvolvimento, de investimento. De outro lado, o mercado oferece profissionais pouco qualificados, as faculdades pecam muito, os candidatos não conseguem colocar as ideias numa sequência lógica, como trabalhar com alfabetização? A escola deve gerir isso de forma que todo o corpo discente entenda os valores e sua proposta. Promovemos encontros regulares com os colaboradores. E todo profissional recrutado para trabalhar aqui, depois das entrevistas, passa por um processo de treinamento de cinco dias, antes de começar a atuar. Ele recebe ainda um manual de sua função para que leia e o conheça.



INTERLOCUÇÃO COM OS FAMILIARES

Diferente de treze anos atrás, os pais têm a consciência de que oferecer educação de qualidade significa de fato investir no futuro da criança e essa concepção chega atualmente à Educação Infantil. Mas sinto dentro da mãe um conflito interno que muitas vezes nos traz problemas. Ela quer que a criança cresça, mas pede que a gente cuide. Eu preciso trabalhar responsabilidade, que o aluno aprenda a guardar o agasalho dentro da bolsa, mas se ele se esquece do agasalho na escola, a mãe chega no dia seguinte cobrando de não termos guardado a blusa. Lógico que estamos aqui para ajudar, é um ambiente controlado, cada unidade tem no máximo 200 alunos, mas a minha função passa a ser supervisão, preciso criar na criança um senso de responsabilidade pelo que é dela. No entanto, a mãe, nesse momento, traz um sentimento duplo, esse é outro dos grandes conflitos que temos.    



TRANSIÇÃO PARA O ENSINO FUNDAMENTAL

Aqui, o aprender nunca é dissociado do brincar. Nosso diferencial é que aqui as crianças aprendem e são muito felizes. Porque existem maneiras de se ensinar. No caso da transição, na pré-escola o aluno leva lição para casa duas vezes por semana. Não existe uma finalidade de trabalhar conteúdo em casa, mas o senso de responsabilidade, de ter o momento em que ele vai sentar, se dedicar a fazer alguma atividade da escola e sentir prazer por isso. Mesmo porque no 1º ano ele vai ter lição todos os dias. Então imagine o choque que seria para a criança vir para a pré-escola e não ter responsabilidade além daquele horário escolar? Temos que prepará-la para o que vai vivenciar.

Mas o curioso é que por mais que falemos nas reuniões com os pais que essa atividade é para brincar, é uma sondagem, onde preciso saber se a criança espelha ou não o “s”, a lição volta impecável! O professor conhece as habilidades daquela criança, a mãe nem disfarça, faz no lugar dos filhos, e cobra certa perfeição que não é própria da idade e faz com que as crianças passem a se cobrar aquilo! Isso cria um problema porque a criança começa a ficar com medo de tentar, pois ela traz um padrão do perfeito que a família impõe e acaba não aprendendo nem se aperfeiçoando.

Por isso, desenvolvemos um procedimento estruturado, definido, embasado teoricamente, sem medo de nos indispor com o pai. O meu cliente é o aluno e não o pai, minha vida não é só facilitar a vida dos pais – até é, mas em benefício do aluno. Depois que nos posicionamos nesse sentido, melhoramos nosso trabalho e não perdemos alunos. Muito pelo contrário. Isso é uma conquista, entendo que esse hoje é o nosso dever, é algo que funciona.  De outro modo, desenvolvemos uma forma de interlocução com a família em que, por exemplo, nunca apresento a ela um problema sem indicar uma solução ou hipótese de solução, um caminho. Assim, a mãe me entende como parceira, o que é fundamental, porque, senão, não se consegue o bem-estar da criança.



PERFIL DA ESCOLA FADELITO



Localização: Avenida Prof. Vicente Rao, 1208, Brooklin, zona Sul de São Paulo;

Número de unidades: Sete (As demais ficam no Alto da Boa Vista, Bonfiglioli, Portal do Morumbi e Vila Sônia, além de Granja Viana/Cotia e Prodesp/Taboão da Serra);

Fundação: Entre o final de 1999 e início de 2000;

Mantenedores: Fabio Fadel e Juliana Fadel;

Ciclos escolares: Berçário e Educação Infantil (Até a pré-escola);

Regime de aula: Integral, intermediário e meio período;

Nº de alunos: 1.000;

Equipe: Média de 250 colaboradores. A equipe básica para cada unidade é composta por 4 porteiros; coordenadora pedagógica; auxiliar de coordenação; secretária; assistente financeiro; 6 professoras; e 20 Auxiliares. Além dos professores especialistas de Judô e ballet;

Mensalidades em 2013: Entre R$ 621,82 e R$ 1.438,30.



SAIBA MAIS

Juliana Fadel

brooklin@fadelito.com.br

comunicacao@fadelito.com.br



Para ver a revista digitalizada. Clique aqui.